sábado, 20 de fevereiro de 2010

A Intentona de 2010


Eu não gosto do Lula. Não gosto da forma como a atual administração tenta mitigar os problemas reais de pobreza, saúde, educação e segurança. Nossa política externa é uma calamidade. Em termos de economia, estamos ainda muito longe de uma administração liberal, verdadeiramente capitalista. Não gosto da forma como o presidente se apresenta e o considero inapto para liderar uma nação.

Mas Lula tem seus méritos, e o principal deles foi ter rompido com a ala conservadora de seu partido, aquela porcaria do PT. O Cara é, ou tenta ser, um pragmático: esforçou-se em tentar reduzir a importância da ideologia e tentou valorizar aquilo que ele acredita que funciona melhor. Nesse espírito, tentou manter mais ou menos intocada a política econômica inaugurada ainda por FHC. Já é alguma coisa.

Mas agora, em final de mandato, com o Lula tentando emplacar uma sucessora, o Partido, uma congregação de comunistas velhos e oportunistas começa a afiar as velhas e obsoletas espadas. Leio no Estadão que durante o 4º Congresso Nacional do Partido, os comunossauros resolveram “radicalizar o programa de governo” da candidata do Lula. Censura, perseguição aos militares, aproximação com MST, apoio incondicional ao PNDH -3, mais proteção trabalhista, etc. Está tudo lá, o bom e velho PT não mudou absolutamente nada. Durante todos estes anos o que manteve a petralhada sob controle foi o barbudo.

Mas a Dilma, ao contrário do Lula, não conta nem com o senso de pragmatismo nem com a popularidade do barbudo. Com a Dilma na presidência, quem de fato governaria seria o PT. No Estadão leio que o barbudo considera os congressos do PT como grandes feiras ideológicas onde se vende e se compra de tudo, dando a entender que nem tudo que se diz nestes eventos deve ser levado a sério, e que o Partido terá "sabedoria" para não jogar fora a experiência acumulada em quase oito anos de governo. “Isso é riqueza que nem o mais nervoso trotskista seria capaz de perder” disse ele, cheio de esperança. Seria nosso presidente um tolo ou um cego? Não importa, na verdade. No final, a intentona de 35 pode, enfim, conquistar o poder em nossa pátria.

Eu não gosto do Lula, mas, deus me livre, o que vem depois pode ser pior. Muito pior.

4 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Por isso, exatamente por isso, a eleição de 2010 vai ser importantíssima.

Brasiliano disse...

Bom dia a todos.Se o Brasil escolher Dilnamite teremos um futuro sombriu,nao acredito que nem termine o mandato,pois mergulhariamos numa guerra civil com os comunas de um lado,apoiados pelas guerrilhas incubadas (MST) e outros,contra uma parte muito grande da sociedade se rebelando contra confiscos de propriedades,censuras e outros.

CORONEL disse...

Aquele abraço e obrigado por ser parte desta rede espontânea que vai crescer pelo trabalho de cada um de nós.

Blogueiros pela Democracia!

CORONEL

Neto disse...

Primeiro: Parabéns pelo blog. li alguns posts anteriores e notei que é muito bom. Vá em frente :-).

Segundo: muito importante essa sua opinião. Bem lúcida e coerente.

O PT dos primórdios continua o mesmo: radicalista. O mundo evolui e ele não. Lula o manteve sob controle, e ainda o mantem. A grande incógnita é: será que a Dilma terá condições de se contrapor aos radicalistas do PT e fazer valer a sua autoridade e pragmatismo quando estiver no poder assim como Lula?

...

Já sabemos que a escolha de Lula por ela, foi exatamente por sua falta de projeto político pessoal, o que em si é uma boa escolha, pois as ambições políticas são o que geram os maiores estragos na personalidade de uma pessoa - na verdade, não estraga, as revela. Esperamos que ela nos mostre essa capacidade antes das eleições em outubro, pois o tempo urge.

Grande abraço